sábado, 13 de junho de 2015

O caso de Regina Walters

Esta fotografia é de uma adolescente de 14 anos chamada Regina Kay Walters, que, por esta altura, estava de férias com a sua família numa zona rural. Durante o caminho, os pais viram vários casebres que deveriam ter pertencido a pastores, anteriormente e pensaram em tirar umas quantas fotografias desses locais.
Como quase todas as raparigas da sua idade, Regina não quereria ser fotografada a não ser que estivesse com uma boa aparência, em primeiro lugar e ela acabou por se zangar com a sua mãe por ela ter tirado algumas fotografias contrárias àquelas que desejava, que resulta quase sempre numa imagem de uma pessoa a avisar que não quer ser fotografada no momento, mas isto acontece com toda a gente, nunca é nada de mal.

No entanto, a imagem acima não tem nada a haver com aquilo que acabaste de ler: a história por trás dela é terrível. Quem está nela é realmente Regina, mas não eram os seus pais a fotografá-la, mas sim o serial killer Robert Ben Rhoades, que tirou a última fotografia de Regina com vida.
Rhoades tinha viajado pelos Estados Unidos com um camião que era usado como um estabelecimento de tortura para os jovens que ele tinha raptado (alegadamente, três a cada mês). Ele revelou também que possuía uma pasta com instrumentos de tortura que eram usados nas suas vítimas. Regina foi uma das pessoas a cair na armadilha de Rhoades. Um fazendeiro descobriu o cadáver da rapariga dentro de um celeiro.
A análise da cena do crime levou a descobrir que o local do homicídio e o sítio onde a fotografia foi tirada são os mesmos. O que vês na imagem acima é uma representação dos últimos segundos de vida de uma jovem aterrorizada por um maníaco, que terminou com a sua vida para o seu prazer.

Adaptado de: whatculture

1 comentário: